fbpx
Nos dias atuais, caracterizados pelo grande avanço tecnológico, competitividade no meio empresarial, digital e pelo grande volume de informações que dobram rapidamente, a autoestima pode ser um dos recursos psicológicos mais importantes para encarar os desafios futuros e para continuar evoluindo mesmo diante das adversidades. Realmente, a autoestima faz toda diferença para o crescimento do ser humano, uma vez que faz parte de um processo de desenvolver uma inteligência emocional, mental e física. A autoestima é uma avaliação que uma pessoa faz de si mesma, é o autoconceito que é formado pelas crenças que uma pessoa tem sobre ela própria. A autoestima é considerada a base para a felicidade pessoal. No livro, “Os sete fatores do êxito profissional”, de Cersi Machado, ele aponta que autoestima influencia a forma como nos sentimos acerca de nós mesmos e isso impacta em todos os aspectos da nossa existência, desde a maneira como agimos no trabalho, no amor, na sexualidade, até o modo como atuamos como pais e etc. Esse grande valor pode determinar até aonde um indivíduo subirá na vida, pois a maneira como uma pessoa reage aos acontecimentos do cotidiano é determinada pelo o que ela pensa sobre si mesma. Alguns psicólogos especialistas no assunto afirmam que autoestima existe quando temos amor próprio e estamos conscientes desse sentimento. Quem se ama não desiste de enfrentar as adversidades, consegue dar mais valor a cada momento presente e consegue ver nas outras pessoas as fraquezas e potencialidades sem julgamentos precipitados. O especialista Deroni Sabbi descreve autoestima em seu livro, “Sinto Logo Existo”, da seguinte forma: “autoestima é o conjunto de crenças que temos e aceitamos como verdade em relação a nós mesmos, nossa capacidade e o que podemos fazer. Inclui a confiança para pensarmos e enfrentarmos os desafios da vida, nossa vontade de crescer e ser felizes, a sensação de sermos merecedores, dignos e qualificados para expressarmos nossas necessidades e desejos e desfrutarmos os resultados de nossos esforços.” A autoestima é a somatória da autoimagem e o autoconceito. A autoimagem é a forma como você se enxerga e isso define o sentimento de importância que você tem em relação a si mesmo. A autoimagem é a visão que o indivíduo forma de si mesmo, baseada em suas experiências passadas e expectativas futuras. Segundo Cersi Machado o autoconceito é formado a partir três componentes:
  • o ser real, que é a visão objetiva de como você é, como as pessoas lhe veem;
  • a imagem espelhada, que significa a forma como você acha que os outros lhe veem;
  • a imagem ideal, que corresponde a um conjunto de objetivos e desejos de como você quer ser e se tornar, as aspirações sobre você mesmo.
“A autoconfiança é uma grande aliada diante das perdas que cada um de nós já se deparou no decorrer da vida! É a autoconfiança que nos ajuda a ser feliz e a evitar sofrimentos. Para isso é muito importante desenvolver uma autoestima saudável para potencializar a confiança em si mesmo” . (Leila Navarro)

Alguns aspectos negativos da autoestima baixa:

  • Submissão, ou sentir-se menor que os outros;
  • Nervosismo e constantes descontroles emocionais;
  • Não conseguir assumir com maturidade os próprios erros;
  • Culpar-se excessivamente;
  • Dificuldade de sorrir;
  • Dificuldades de se relacionar com outras pessoas;
  • Sentir-se vítima das coisas;
  • Sentimento de incapacidade, ou a sensação de que o mundo todo não está ao seu favor;
  • Não aceitar a si mesmo como se é.

Alguns aspectos positivos da autoestima elevada:

  • Capacidade de reconhecer os próprios erros e se perdoar com consciência;
  • Saber perdoar outras pessoas;
  • Ser positivo diante dos acontecimentos da vida, sem deixar de ser realista;
  • Ser assertivo sabendo defender seus valores, sem precisar confrontar os outros;
  • Não ter vergonha ou medo de ser feliz;
  • Saber lidar melhor com as emoções e sentimentos;
  • Alegria e entusiasmo sem ser arrogante;
  • Saber expressar gratidão;
  • Autoconfiança diante das adversidades.

Veja algumas orientações para fortalecer sua autoestima:

  • Ande com pessoas positivas, de bom astral.
  • Aceite-se como você é, cuide de seu corpo e aprenda a gostar de si mesmo.
  • Procure se ocupar fazendo coisas com as quais você se identifica. Crie momentos prazerosos, de experiências que te façam ter vivacidade.
  • Foque seus pontos fortes e utilize-os para o seu crescimento, isso não significa não olhar para os pontos fracos. Os pontos fracos devem ser analisados para que eles possam ser transformados em melhores atitudes, mas focar predominantemente no ponto fraco pode prejudicar sua autoestima.
  • Respeite seus sentimentos e entenda o que eles querem dizer – não ignore suas emoções, faça uso delas para o seu crescimento.
  • Abra seu coração, se relacione com as pessoas, livre-se de mágoas, ressentimentos ou raivas. A vida é curta, não perca tempo para amar e ser amado.
  • Aprenda com cada problema. Coloque o melhor significado para as situações adversas.
  • Aprenda com o passado, não se prenda a ele, olhe ao seu redor porque a vida acontece agora, esteja presente para viver cada momento.
  • Estipule metas e objetivos para se colocar em movimento. Sonhe, busque autorrealização. Os grandes motivos dão um novo sentido a vida.
  • Sorria mais, isso faz bem para o corpo e a mente.

Leave a Reply